domingo, 29 de janeiro de 2012

Daqui pra tão longe

Tão estranho falar com alguém que está tão longe. Ouvir as suas palavras e vê-las saindo de sua boca, em tempo real. Ouvi-la dizer boa noite e não poder dizer, porque lá ainda está no meio da tarde.
Vou morrer de saudades esse ano! De jogar conversa fora e ligar quando der vontade de chorar, ou de contar alguma coisa. Agora só dá pra conversar se fizer um cálculo de 15 horas pra frente, de noite aqui, de tarde lá, sábado aqui, domingo lá. Nem no ano novo, vai dar pra se falar à meia noite, como foi agora há pouco.
Te amo tanto, menina. E você não imagina a falta que vai fazer na minha vida. Te dei um pedaço de mim naquele presente, pra te ter pertinho aonde quer que você vá. Aproveita esse ano como nunca aproveitou antes. Se divirta nessa tarde de domingo, enquanto eu aqui, durmo, pra acordar quando aí já for segunda-feira. Nunca vou parar de falar contigo, mesmo estando do outro lado desse teu novo mundo, que é todo seu agora.
Um beijo de boa noite daqui. Pra você, já um beijo de boa tarde.
Fica bem, que aqui tudo vai continuar do jeito que você deixou. E como sempre foi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário