quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

02/02



Sou vagabundo
eu confesso, da turma de 71
Já rodei o mundo

e nunca pude encontrar
Lugar melhor para um vagabundo, que um rio à beira mar
Odoiá odofiaba salve a minha mãe Iemanjá
Que foi que me deram pra levar
Pra dona Janaína que é sereia do mar?
Pentes de osso, laços de fitas
Pra dona Janaína que é moça bonita,
que é moça bonita.
Café na cama eu gosto, com suco de laranja, mamão
E um vinho em cima da mesa
Amanhã quando você,
quando você for trabalhar
Tome cuidado que é pra não me acordar
Eu durmo tarde, a noite é minha companheira
Salve o amor salve a amizade, a malandragem, a capoeira,
a capoeira.

Vagabundo Confesso - Dazaranha

02/02 dia de Iemanjá, uma homenagem

Que tudo é mar

- e mais nada.





Nenhum comentário:

Postar um comentário