quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Digo que quero, simplesmente

Digo pra vida que quero
Digo pra vida que a quero
Digo pra vida que te quero
Digamos que eu queira
O que todos nós queremos
Além de todos os instantes
ridículos, inúteis, absurdos, obscenos
Me restam as lembranças e desejos
De instantes plenos e futuramente completos
Complexos
Complicados
Plenos
Plenitude, pra que quero?
Se o que desejo é a oscilação
Que me joga do que me faz bem,
Ao que me desgasta como numa onda
Alcanço a plenitude
Oscilando
Só depois de sair do buraco
É que eu vejo a tua luz mais forte do que nunca
Então,
Digo pra vida que quero
Digo pra vida que a quero
Digo pra vida que te quero

Digamos que eu queira
Simplesmente,
Viver

Nenhum comentário:

Postar um comentário