sábado, 14 de agosto de 2010

Je ne sais pas (parte 3)

-Oi - ele me disse oi, meu deus do céu. Eu ouvi mesmo, ele falou comigo.
Um "oi" tímido foi o que saiu da minha boca e a dele já engatou um - tudo bem?
- Tudo bem e você? - eu respondi, aí os olhos dele desviaram dos meus e pararam por um segundo nas minhas bochechas, que com certeza já não eram mais da cor natural.
-Tudo também, como foi na sala da coordenadora hoje? - ele deu uma risada, eu tinha que ficar brava, mas não dava. A risada dele era como uma valsa para mim.
-Ahn, não foi muito legal, mas, ela só me disse que eu tinha que prestar mais atenção. Mas, eu não consigo... - nossa, eu nunca imaginava que ia conseguir desenvolver uma frase com mais de 10 palavras na frente dele, foi sobrenatural isso, uau.
-E por onde andavam os seus pensamentos Clara? - EM VOCÊ, EM VOCÊ, EM VOCÊ! Era tudo o que eu queria responder, mas obviamente, eu não consegui, acho que era por isso que eu nunca ficava com ninguém, eu simplesmente não sabia conversar.
-Nem sei, eu fiquei olhando um passarinho lá fora, eu acho. - "eu fiquei olhando um passarinho lá fora, eu acho" isso é resposta para dar pra ele? Como sou burra.
-Hm, bom, eu já tô indo. Foi bom falar com você, até amanhã Clara. E vê se presta atenção na aula, haha.

Eu queria pedir pra ele não descer do ônibus, nunca, nunca mais. Mas eu já estava morrendo de alegria, eu pude conversar com ele! Peguei meu celular e liguei pra Ana, ela precisava saber, comecei a pular e gritar, o que atraiu o olhar de algumas pessoas para mim, mas eu nem ligava, eu estava feliz, feliz, feliz! Ele tinha falado comigo!
Mas a Ana não pareceu muito contente com a notícia, como assim? Ela é minha melhor amiga, eu achei que ia morrer de felicidade. Mas, nem dei muita bola, talvez ela estivesse acabado de brigar com alguém e poxa, como eu ia dar importância para isso, depois do que tinha acabado de acontecer?

Cheguei em casa e fui direto olhar o Orkut dele, eu sei que não é bom parecer que a gente vigia a vida do garoto, mas eu precisava pelo menos mostrar que eu gostei de ter falado com ele no ônibus. E já fui separar a roupa que eu usaria no dia seguinte, peguei até uma maquiagem que ganhei de natal da minha tia, eu não gosto muito de maquiagens, mas, agora era absolutamete necessário.

Continua!

Nenhum comentário:

Postar um comentário