domingo, 18 de julho de 2010

Soneto de Fidelidade

Eu amo esse poema, eu amo, amo, amo. No filme ´Invictus´, que conta um pouco da vida do Mandela, ele diz ao treinador do time de rugby da África do Sul, que quando ele estava na prisão e se sentia triste ou sozinho, ele recitava um poema pra ele mesmo. Era lindo, mas, não consigo me lembrar o nome agora. Pois então, acho que esse poema do Vinicius de Moraes, tem o mesmo efeito analgésico sobre mim. Me deixa mais tranquila e é como uma luzinha naqueles dias que não são lá muito bons.

Soneto de Fidelidade

´De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Em seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer, do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.´

Vinicius de Moraes


Que seja para vocês, tão inspirador, quanto é para mim. E que tenham, um ótimo começo de dia!

Nenhum comentário:

Postar um comentário