quarta-feira, 5 de maio de 2010

Filosofias

Minha vida anda tão corrida agora, que eu nem tenho tempo para andar por esse lados. Ando querendo escrever mais, tocar mais flauta, sair mais, ir ao cinema, mas, simplesmente não dá.
Não que eu ache que minha vida de 9º ano esteja sendo mais corrida do que qualquer outra, mas, eu deduzi que quanto mais a gente cresce, mais os dias passam rápido.
Eu vou dormir, quando vejo minha mãe já está entrando no quarto e acendendo a luz e todos estão com sua irritante alegria matinal, depois já estou na escola, almoçando, na aula de alguma coisa, indo pra casa, jantando e AAAAAAH!
Começa tudo de novo.

Minha vida, as vezes aparentemente tão intensa, cheia de alegrias, tardes deprimidas, brigas, filmes tristes, amores, amigos, família... parece ser muito movimentada, mas, ao mesmo tempo tão insignificante no meio de tantas outras vidas parecidas ou até mais complicadas.
Estava conversando isso com meu pais esses dias. É incrível pensar que o universo não tem fim, não acaba nunca. Para nós, gente "finita" é fora dos padrões pensar em algo que não termine, nossa vidinha de "começo, meio e fim" é muito mais aceitável e prática.
Mas, se existe essa quantidade tão gigantesca de planetas, estrelas, galáxias, existe vida? E se não for do jeito que imaginamos? Ou seres verdes com um olho só, ou bactérias, ou humanos idênticos a nós, ou possuidores de enormes espaçonaves.
E se existir, algo com uma forma que nem sonhamos em imaginar, sem um coração, dois olhos, sem essa história de eucariontes e procariontes.

Eu sei lá. Acho que é bom pensar sobre isso, filosofar horas e horas sobre algo aparentemente sem respostas. Será que um dia, alguém vai saber? Ou serão eternas suposições e filmes Hollywoodianos que mostrem os ET's matando todos os humanos? O que será que tem além do nosso planetinha azul e verde?

Nenhum comentário:

Postar um comentário