quinta-feira, 20 de maio de 2010

Estrelas Calientes

No livro que eu li "AvóDezanove e o segredo do soviético" do Ondjaki, os nomes são todos juntinhos mesmo, não foi um erro de digitação e minha tecla de dar espaço também não está com problema. Bom, é um livro daqueles de ler devagarzinho, bem com calma, prestando atenção nos detalhes. São basicamente, as memórias das férias de um menino e os seus medos, suas brincadeiras, seu cotidiano, vizinhos e histórias na Praia do Bispo, em Luanda, a capital de Angola. Só pra entenderem um pouquinho, na época, muitos russos e cubanos viviam em Luanda, pois estavam em guerras políticas e eram aliados. O menino, narra além de suas próprias férias na casa da avó, a construção de um mausoléu soviético e a possível explosão da praia. É muito bom, recomendo à todos, uma delícia de ler, cheio de "mistériozinhos" e histórias inventadas e aumentadas. É um livro de ler rápido, um livro fácil de entender e se intrometer nas cotidianas aventuras das crianças.
Meu personagem preferido, é o EspumaDoMar, um cubano meio maluco e filósofo, que mora na PraiaDoBispo e conta suas histórias e teorias para as crianças. Algumas páginas do meu livro, estão com a pontinha dobrada, pois marquei as passagens bonitas. E essa, dobrei duas vezes, porque foi a que mais gostei:

"-Vocês falam estrelas cadentes, mas eu conheço os dicionários todos da língua angolana e da cubana. Estrelas calientes, são fenómenos dos céus e do universo escuro, a poeira cósmica e etcetera... seus patetas que nunca andaram nas escolas universitárias!
(...) - Aprendam meninos, há dois céus: o céu azul que pertence aos nossos olhos e às asas dos aviões e dos passarinhos. E existe um céu negro que é tão grande como um deserto. (...)
- As estrelas calientes derreteram com os calores do sol e por isso caem em direção ao planeta mundo. Nuestro planeta es el unico que tiene agua para elas arrefecerem outra vez. São estrelas calientes, e um dia, depois de arrefecidas, juro, esas estrellas van a querer volver a casa... (...)
- Ainda vamos ver essas estrelas subirem, da terra para lá em cima, nos céus que dormem longe vestidos de brilhos brilhantes."

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Quero que venha

Eu fiz este poema, para a feira de leitura que vai ter na minha escola, nos dias 13 e 14 de maio. Como o tema da feira é o continente africano, resolvi homenagear a África do Sul. É um poema principalmente sobre o Apartheid. Espero que gostem :)

Quero que venha

Nosso povo, minha alma, tua vida
O sangue que escorre
Pela terra, terra que é nossa
No amor e na vingança digo eu:
- Pura injustiça.
Por que fazer de um povo seu próprio inimigo?
Não digo inimigo de luta
É inimigo da dor.
Tua alma,
antes alegre
Agora chora um rio de liberdade
Quero ver a vida vindo,
vinda
Quero que venha.
Desejo ver a alegria no teu rosto
África
Deste sul tão distante.
Nós
Palavra agora desconhecida
Um dia sairá da nossa boca
E que venha ela,
rodeada de liberdade.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Filosofias

Minha vida anda tão corrida agora, que eu nem tenho tempo para andar por esse lados. Ando querendo escrever mais, tocar mais flauta, sair mais, ir ao cinema, mas, simplesmente não dá.
Não que eu ache que minha vida de 9º ano esteja sendo mais corrida do que qualquer outra, mas, eu deduzi que quanto mais a gente cresce, mais os dias passam rápido.
Eu vou dormir, quando vejo minha mãe já está entrando no quarto e acendendo a luz e todos estão com sua irritante alegria matinal, depois já estou na escola, almoçando, na aula de alguma coisa, indo pra casa, jantando e AAAAAAH!
Começa tudo de novo.

Minha vida, as vezes aparentemente tão intensa, cheia de alegrias, tardes deprimidas, brigas, filmes tristes, amores, amigos, família... parece ser muito movimentada, mas, ao mesmo tempo tão insignificante no meio de tantas outras vidas parecidas ou até mais complicadas.
Estava conversando isso com meu pais esses dias. É incrível pensar que o universo não tem fim, não acaba nunca. Para nós, gente "finita" é fora dos padrões pensar em algo que não termine, nossa vidinha de "começo, meio e fim" é muito mais aceitável e prática.
Mas, se existe essa quantidade tão gigantesca de planetas, estrelas, galáxias, existe vida? E se não for do jeito que imaginamos? Ou seres verdes com um olho só, ou bactérias, ou humanos idênticos a nós, ou possuidores de enormes espaçonaves.
E se existir, algo com uma forma que nem sonhamos em imaginar, sem um coração, dois olhos, sem essa história de eucariontes e procariontes.

Eu sei lá. Acho que é bom pensar sobre isso, filosofar horas e horas sobre algo aparentemente sem respostas. Será que um dia, alguém vai saber? Ou serão eternas suposições e filmes Hollywoodianos que mostrem os ET's matando todos os humanos? O que será que tem além do nosso planetinha azul e verde?