terça-feira, 16 de março de 2010

Pra minha Compasso

Na minha compasso (Compasso aberto escola livre de música) todas as aulas de musicalização eram uma diversão, que incluia pipoca, banda dos zumbis, jogos, risadas e notas musicais. Saía da sala "grande"e ia direto para o piano, com a minha professora por tantos anos, Denise.

Depois de toda a alegria das aulas, ainda vinham os shows no meio do ano e os tão esperados shows de fim do ano, ah, que delícia, que friozinho na barriga!
E eu fui crescendo e minhas aulas de quinta, passaram para terça e a Maria, minha professora tão querida, foi pra longe, mas, continuei lá, nas minhas aulinhas "pianísticas" com a Dê.
A banda dos zumbis foi perdendo integrantes e uma nova turma ia se formando, com outra professora, com novos desafios. Mas, sem pipoca, afinal, a gente já era meio grande, né?
Comecei a ter aulas pela manhã e minhas aulas de música mudaram pra quarta feira à tarde. Minha turma, na realidade, minha dupla, era o meu melhor amigo, daqueles de infância... minha professora, a Marina, era irmã da Maria, aaaah, como era bom ter aulas com essas duas! A Marina me dava aulas de flauta também, meu novo desafio, depois de tantos anos pianísticos com a Dê.
As aulas de quarta, foram muito bem aproveitadas, mas, como tudo que é bom acaba, a Marina, também foi pra longe. E meu melhor amigo foi também.

E eu continuei lá, indo na Compasso e deixando minhas tardes mais cheias de música. Para não sair da "família", ao invés de ter aula com as irmãs, dessa vez, foi com a mãe das duas, Silvia.
Ela me dava aulas de flauta e me fez um convite, para entrar na banda da escola, que honra não? Entrei é claro, como sempre, aceitando desafios. Na banda conheci gente diferente, toquei música diferente, umas mais antigas, outras quase esquecidas e outras, tão conhecidas. Como eram boas, as aulas que então passaram para segunda-feira.

Outra novidade, escola nova, não, não saí da Compasso. Foi a Compasso que mudou de lugar, uma casa linda, pertinho da outra, com cara de Silvia, de Denise, de Maria, Marina e tantos os outros que a deixavam tão cheia de vida e música. E lá fui eu, me mudei junto pra casa nova, de mala, flauta e agora, a nova novidade, aulas de canto, com a Denise de novo! Saía da flauta, ia pros ensaios da banda, saía da banda, direto pro canto e do canto, pra aula de teoria. Ai, quanta coisa. Ah, mas, era bom, relaxante.

E depois de quase 6 anos, eu saí de "casa", deixei de ir lá toda segunda-feira. No começo, estava empolgada, afinal, teria tempo para fazer outras coisas, mas, eu acho que aquele lugar já é tão parte de mim, quanto eu sou parte dele. E não dá pra esquecê-lo, por isso, estou esperando a saudade estourar, para voltar lá e viver tudo de novo. Não vou abandonar os meus ares musicais, a minha base, o meu descanso, as minhas aulas, a minha música. Pois é, quando a gente tá longe e bate a saudade, é que a gente percebe o quanto ama. Obrigada por tudo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário