quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Todos querem ajuda

Prometo que amanhã eu escrevo sobre mais um filme da minha prateleira!

Eu não acredito que daqui há 1 mês, só 1 mês, eu vou para o nono ano (oitava série). Quando eu era pequena, nossa, essas pessoas "grandes" eram tão distantes da minha realidade que geravam uma certa admiração. E agora eu vejo, como eram pequenos ainda. Como eu ainda me sinto dependente, minúscula num mundo tão cheio de problemas, crises, pobreza e alegria também. Um mundo tão cheio de tudo que se torna impossível entender algumas coisas. Não me sinto adulta, sendo que daqui a 4 anos vou escolher o que quero da minha vida. E se der errado? E se o meu sonho - família feliz, trabalho, filhos, amigos - desmoronar? Daqui a 3 anos, vou sair por aí, podendo decidir quem eu quero pra governar o país onde eu moro. Será que confiam tanto assim na gente?

Essas pessoas andando sobre os corpos da própria família no Haiti, as crianças esperando uma família, as pessoas que não sabem mais o que fazer, o mundo tentando desesperadamente ajudar um país em pânico, quando o próprio governo está tão desesperado por isso não estar previsto na sua tão promissora campanha eleitoral. E agora, o que a gente faz?

Não sei se vou mudar o mundo, não sei se vou fazer diferença na vida de um país inteiro, realmente não sei nada sobre o meu futuro, mas, para alguém, para alguns, sim, eu vou fazer o máximo que puder para ajudar. E para essa nação, chamada Brasil, faça alguma coisa e não despeje os problemas nas crianças de hoje, esperando que elas mudem o mundo sozinhas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário