domingo, 31 de janeiro de 2010

Across The Universe

Poxa vida, não cumpri minha promessa, mas tudo bem, 2 dias de atraso não tem tanto problema, certo?
Bom, o filme que eu queria indicar, é bem recente, aliás, se chama "Across The Universe", da diretora Julie Taymor. É um musical de rock, embalado pelas musicas dos Beatles, a história toda se baseia nas letras das músicas. Gente, é bom demais.
Se passa no fim da década de 60, quando o jovem Jude (Jim Sturgess) sai de Liverpool na Inglaterra para procurar o pai nos EUA. Ele se apaixona por Lucy (Lucy in the Sky with Diamonds, Hey Jude, tsc tsc, a lógica!), uma menina americana rica que participa do movimento pacifista no bairro Greenwich Village em NY. Copiando a sinopse: "o número de mortos do Vientnã aumenta, as tensões políticas dentro da América escapam do controle, e os dois namorados, tão diferentes, vêem-se em um mundo psicodélico e enlouquecido. Com a participação de Bono, Across The Universe é um daqueles filmes que a gente vê várias vezes, como quem ouve um disco favorito."
Mas, lembrando, o filme infelizmente não é LIVRE, é para maiores de 14 anos, hehe. Bom, aproveitem, assistam, é longo mais vale a pena, foi indicado até ao Oscar de melhor figurino!

Boa semana, bons filmes e um beijão,

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Todos querem ajuda

Prometo que amanhã eu escrevo sobre mais um filme da minha prateleira!

Eu não acredito que daqui há 1 mês, só 1 mês, eu vou para o nono ano (oitava série). Quando eu era pequena, nossa, essas pessoas "grandes" eram tão distantes da minha realidade que geravam uma certa admiração. E agora eu vejo, como eram pequenos ainda. Como eu ainda me sinto dependente, minúscula num mundo tão cheio de problemas, crises, pobreza e alegria também. Um mundo tão cheio de tudo que se torna impossível entender algumas coisas. Não me sinto adulta, sendo que daqui a 4 anos vou escolher o que quero da minha vida. E se der errado? E se o meu sonho - família feliz, trabalho, filhos, amigos - desmoronar? Daqui a 3 anos, vou sair por aí, podendo decidir quem eu quero pra governar o país onde eu moro. Será que confiam tanto assim na gente?

Essas pessoas andando sobre os corpos da própria família no Haiti, as crianças esperando uma família, as pessoas que não sabem mais o que fazer, o mundo tentando desesperadamente ajudar um país em pânico, quando o próprio governo está tão desesperado por isso não estar previsto na sua tão promissora campanha eleitoral. E agora, o que a gente faz?

Não sei se vou mudar o mundo, não sei se vou fazer diferença na vida de um país inteiro, realmente não sei nada sobre o meu futuro, mas, para alguém, para alguns, sim, eu vou fazer o máximo que puder para ajudar. E para essa nação, chamada Brasil, faça alguma coisa e não despeje os problemas nas crianças de hoje, esperando que elas mudem o mundo sozinhas.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Muito Cecília

Comprei um cartão com essa frase, ela está bem na linha de raciocínio dos meus pensamentos mais filosóficos, doidos e apaixonados, hehe, mesmo, muito Cecília:

"Viva como se não houvesse amanhã,
Ame como se nunca fosse se machucar,
Trabalhe como se não precisasse do dinheiro
E dance como se ninguém estivesse olhando."

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Livre para todos os públicos

Primeira postagem de 2010! Gente, hoje eu não vou dar dicas de filmes, porque eu gostaria de fazer um breve comentário, sabe como é. Bom, semana retrasada, eu fui no cinema e ia ver um filme pra 14 anos, o moço não me deixou entrar, nem quando eu disse que o meu aniverário era dali a 6 dias, então, ontem eu fui lá no cinema de novo (ver o mesmo filme) e, entrei!
Haha, eu estou tão feliz, sei lá, deve ser 1/3 da sensação de quem faz 18, mas eu me senti grande por poder ver aquele filme, não que em casa eu não visse filmes pra 14 anos, mas, agora eu posso oficialmente ver.
Eu lembro da minha alegria quando fiz 12, porque eu poderia ver filmes um pouco mais adultos no cinema, que não fossem só infantis e livres para todos os públicos, acho que de 2 em 2 anos, minha alegria vai aumentando, com 18, talvez seja mais sem graça, poderei dirigir e fazer o que quiser da minha vida, mas, onde estará a ansiedade de esperar dois anos para se sentir grande de novo?

Beijinhos, feliz 2010,
Cê :)