sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Contagem regressiva

Olá, olá, olá
Hoje eu acordei empolgada, mentira, acordei mesmo é com a minha típica cara de zumbi das 6h da manhã, mas quando cheguei na escola já fui empolgando porque, afinal, temos aula até quarta feira da semana que vem, na quinta nós vamos pro Engenho EcoPark ("viagenzinha" de confraternização).
Isso já está com muito jeito de férias, cheiro de férias, eu até pude ver video show a tarde, tem coisa mais férias do que isso? Só mesmo o cheirinho de protetor solar. Vai chegando uma época do ano em que ninguém aguenta mais a rotina, por mais que tenham aulas extras divertidas, tudo começa a ficar normal demais. A sensação de "aleluia" é ver a decoração de natal (brega) do shopping, aí a gente realmente percebe que daqui a pouco será simplesmente, verão.
Não tenho muitos planos para estas férias, acho que quero ficar com os meus amigos, ir no cinema, na praia, passear, fazer uma viagenzinha, sei lá, nada muito complexo pra minha cabeça cheia de "complexidades", festas de encerramento, formaturas, amigos secretos, recuperações e boletim...
Ano que vem, será o meu último ano na escola que estudei a vida inteirinha, não sei bem como vai ser, acho que vou dar chorar um pouquinho quando eu ouvir o sinal bater no último dia de aula de 2010. Será "tchau e obrigada" Sarapiquá, "olá e muito prazer" ensino médio.
Mas agora, esquecendo de todos essas complicações vamos aproveitar o que está vindo, FÉRIAS, FÉRIAS, FÉRIAS!

Uma beijoca e boas futuras férias, Cê

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Poderíamos chamar de espírito natalino?

Na aula, um dia desses, a gente estava cantando aquela musiquinha de natal:
"Deixei meu sapatinho, na janela do quintal.
Papai Noel deixou, um presente de natal.
Como é que Papai Noel, não se esquece de ninguém?
Seja rico, ou seja pobre, o velhinho sempre vem!"

Na alegria do momento, não parei pra pensar o que significava a música. Mas e aí, será que o "bom velhinho" vem mesmo para todos? Eu e meus pais, sempre escolhemos no correio algumas daquelas cartinhas das crianças e mandamos presentes, mas é o suficiente?
Fazer uma criança feliz, nem que seja por um dia, é emocionante. Realizar o desejo de uma criança, nem que seja com uma roupa que ela não possa ganhar, é o melhor natal que alguém podia querer.
Eu desde pequena, amo bebês, minhas bonecas tomavam até banho (as vezes estragavam por causa disso). Me sinto muito grande perto deles, muito responsável. Passar uma tarde fazendo uma criança sorrir é a melhor coisa pra mim. Pode parecer clichê, mas é sério, eu amo crianças.
Uma vez, eu estava no shopping e uma menininha, que devia ter uns dois anos, parou do meu lado, olhou pra mim e segurou na minha mão.

No mês passado, a Flora, uma amiga minha, convidou eu e a Gabi (outra amiga), para irmos na SERTE. É um local sem fins lucrativos, que serve como abrigo para velhinhos e crianças. Nós fomos para lá com o Shomer, um grupo de judeus (que a Flora participa) e passamos a tarde brincando com as crianças. Foi lindo, umas das coisas mais especiais que eu já participei, nós chegamos, fizemos um teatrinho do Flicts, demos um lanche e brincamos a tarde toda. Tem coisa melhor do que brincar e ainda com pessoinhas que precisam tanto de carinho?

Eles aceitam doações em dinheiro, roupas ou brinquedos. Vale muito a pena e pense bem, o natal está chegando, por que não abandonar um pouco a tela do seu computador e passar a tarde fazendo algo que realmente supere os 1000 presentes que você vai ganhar?

http://www.serte.org.br/ - site para informações!

Beijocas, Cê

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Como um nó gigante

Sabe aqueles dias em que o que mais queremos, é ficar vendo um filme de amor bem triste, comendo brigadeiro e embaixo das cobertas? Por mais que seja preferível nessa estação, um ar condicionado geladinho mesmo...
Podem até dizer que sejam hormônios, mas é muito bom, não ter nada pra fazer e ficar chorando com uma caixinha de lenços de papel, assistindo o mocinho dizer pra menina esquisita que ele nunca amou ela.
Comprei agora a Capricho, com os colírios na capa, lindos. É ótimo ter um amor platônico desses, haha, vamos em fases, Harry Potter, Edward Cullen, Dudu Surita, aah...
Tem até os casos de gente que chora pensando neles, um exagero, concordo. Mas, cada um com suas manias. É bom se apegar a alguma coisa, nem que seja o personagem de um livro. Quando eu era pequena, ganhei o livro do Harry Potter, bem metida, comecei a ler. Odiei. Semana passada, tirei da estante e fui ler de novo (estou adorando), nas 3 primeiras páginas (tudo o que li), mais da metade das palavras estavam sublinhadas. Aí está, bem por isso que eu não tinha gostado! Tinha uma parte, que em uma linha estava escrito: "esta-" e na linha de baixo: "cionamento". Eu com a minha gigante idade de 7 anos, sublinhei "cionamento", não sabia o que significava. Aí fica difícil né?
A gente tem fases mesmo, vai crescendo e certas coisas vão ficando mais claras, amores platônicos vão surgindo, ê beleza. Resultado, tudo vai ficando mais complicado, como um nó gigante.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

VERÃO!

Praia, praia, praia. Finalmente chegou o calor, junto com ele, mosquitos, queimaduras de sol, cheiro de protetor solar, água de coco, cabelo palha. Muito, muito bom.
Na segunda eu fui na praia com os meus amigos, a minha primeira praia de verão verdadeiro. Passamos o tempo todo na água. Agora é que eu estou sentindo as consequências, ter que ficar passando creme hidratante nas costas e não conseguir colocar uma camiseta de manga curta. Ah, só ter pegado uma corzinha já recompensa. A típica cor de armário do inverno é péssima, vá na praia, aproveite, se não tem praia por aí, uma piscininha sempre ajuda. Mas, pelo seu bem e para evitar más consequências, passe muito protetor solar!

Bom verão! Cê :)